segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

ALIMENTAÇÃO DOS DOENTES COM E.L.A

RITA TEIXEIRA
Ah! Que saudade de saborear os cozinhados que eu própria fazia! 

Ah, que maravilha sentir o sabor daquelas sobremesas e tartes que eu tanto gostava de fazer! Escondo esta saudade dentro de mim, para que ninguém se senta constrangido à mesa, durante as refeições. 

Esta maldita doença teve o seu início precisamente nas cordas vocais, quando me apercebi que certos fonemas não eram ouvidos. Contudo, no contexto da sala de aula., tal situação o acontecia, porque tinha que elevar o tom de voz, como seria completamente normal. 

Lentamente a deglutição foi-se agravando, levando-me a engasgar com certos alimentos. Um ano depois, 2010, já não mastigava e os alimentos começaram a ser triturados. 

Sem orientação médica, a minha alimentação passou a ser: sopa, cerelac, batido de frutas e leite creme. Pouco a pouco, sempre que comia, não conseguia engolir os alimentos, enquanto emagrecia drasticamente. 

Em 2014, ficou acordado que teria de passar a alimentar-me através de uma sonda mas só em 2015 fiz a cirurgia para a introduzir e um receituário para a minha alimentação. 

Segundo o enfermeiro, que deu instruções à minha cuidadora, eu só deveria tomar duas seringas de leite com pão de mistura de manhã, à tarde e ao deitar. Ao almoço e ao jantar, três seringas de sopa e uma de batido de frutas. 

No mês passado fui a uma nutricionista, que refutou toda a alimentação que eu fazia. Não era pela quantidade de seringas, mas pela quantidade de alimentos que o receituário indicava. Mais uma vez, a falta de sintonia entre as equipas que acompanham o mesmo doente!

TABACO E SAÚDE ORAL

INÊS MAGALHÃES
O tabaco é formado por mais de 4000 substâncias, com diversos efeitos sobre o organismo humano, nomeadamente na saúde oral.

As consequências orais do consumo tabágico são várias, indo de uma simples halitose (vulgo mau hálito) e pigmentação (alteração da cor dentária e gengival), até doenças mais graves como o cancro oral. O seu efeito cancerígeno torna o tabaco o principal fator de risco para o desenvolvimento deste cancro.

Deste modo, é possível o desenvolvimento agravado, em fumadores, de:

· Cancro oral

· Queratose tabágica

· Estomatite nicotínica

· Periodontite (recessão gengival e mobilidade dentária)

· Perda dentária

· Insucesso com implantes dentários

· Cáries dentárias (com maior prevalência de cáries cervicais)

· Melanose do fumador na gengiva e mucosa jugal (bochecha)

· Pigmentação dentária

· Língua pilosa

· Aftose (aftas recorrentes)

· Halitose
A exposição repetida aos constituintes do tabaco aumenta o risco de aparecimento dos fatores acima mencionados, bem como o risco de morte e doença.

Assim, torna-se imprescindível a redução de fumadores através da cessação tabágica. É importante uma estreita colaboração entre os diversos profissionais de saúde (incluindo também o médico dentista) e o fumador, para que deste modo haja sucesso nesta terapia.

domingo, 10 de dezembro de 2017

TERÁ CHEGADO AO FIM O REINADO DE PAULA BRITO DA COSTA?


  • Paula Brito da Costa não gosta da postura de MRS: SELFIES só lá fora
  • Paula Brito da Costa usa o cartão da instituição para compras pessoais
  • Paula Brito da Costa exige um PPR, pois teme que a sua reforma não lhe permita viver uma velhice de luxo
  • Paula Brito da Costa quer o filho na parada ao lado do marido, que é os seus olhos e ouvidos
  • Paula Brito da Costa exige que as funcionárias se levantem sempre que passa pela receção
  • Paula Brito da Costa quer bandeiras rendadas
  • Paula Brito da Costa diz que não somos todos iguais e, quem acha o contrário, que se atire da Ponte Vasco da Gama
  • Paula Brito da Costa só anda em BMW´s 
  • (...)

QARA HANDMADE SYRIA


JOANA M. SOARES
Já cheira a Natal. As árvores de Natal já foram inauguradas em várias cidades do País. As decorações estão prontas. As famílias começam a escrever as listas de presentes. E porque é Natal fala-se em solidariedade.

Esta pequena grande palavra que deveria andar no nosso bolso o ano inteiro. Por isso na crónica de hoje trago uma sugestão onde poderão encomendar prendas de Natal e ajudar as famílias devastadas pela guerra na Síria.

O projeto chama-se Qara – Handmade Syria. Uma busca rápida no facebook ajuda a encontrar deliciosos carapins, gorros, luvas, camisolas, estojos, e outros adereços feitos à mão em tricô e/ou crochê por muçulmanas que angariam dinheiro para sobreviverem e ajudar outras famílias a sobreviverem à guerra e às intempéries da vida. Um grupo de jornalistas da TVI Porto que esteve em reportagem na Síria organizou e orienta o grupo para que a solidariedade chegue onde e a quem tem que chegar.

O Natal é a simplicidade da mensagem de amor, da magia da solidariedade e da inversão da correria ao consumismo. Por isso ao oferecermos algo que ajuda outras pessoas, na verdade, oferecemos, dois presentes: ao nosso amigo ou familiar, e a quem compramos o presente.

No Natal e durante o ano inteiro junte-se a causas como esta. Dar é receber.

A ENFERMAGEM É EXERCIDA POR GENTE QUE CUIDA DA GENTE

MOREIRA DA SILVA
A Enfermagem é uma ciência complexa que exige uma preparação rigorosa, é uma arte que requer uma devoção exclusiva, é uma profissão sublime que exige muitas responsabilidades de quem a exerce, é uma componente fundamental no sistema de saúde. A atividade principal da Enfermagem é cuidar das pessoas, é lidar com a vida da gente, é atuar na proteção e promoção da saúde junto à população, é apoiar os pacientes que se recuperam de enfermidades ou intervenções cirúrgicas.

O propósito da Enfermagem é responder às necessidades de saúde, por isso assume um papel decisivo no que se refere à identificação das necessidades de cuidados da população, nas suas diferentes dimensões. A Enfermagem, que teve uma evolução muito grande na sua formação base e na complexidade do seu exercício profissional é muitas vezes estupidamente desvalorizada pela tutela e pelo legislador, que se esquecem frequentemente de a dignificar, de dar a relevância merecida e reconhecer a importância do valor social e da indispensabilidade que tem no sistema de saúde.

É interessante ler com atenção o juramento oficial do curso de Enfermagem: “Juro dedicar a minha vida profissional ao serviço da humanidade, respeitando a dignidade e os direitos da pessoa humana, exercendo a Enfermagem com consciência e fidelidade; guardar sem desfalecimento, os segredos que me forem confiados; respeitar a vida desde a concepção até depois da morte; não praticar atos que coloquem em risco a integridade física ou psíquica do ser humano; atuar junto à equipa de saúde para o alcance da melhoria do nível de vida da população; manter elevados os ideais da profissão, obedecendo os preceitos da ética, da legalidade e da moral, honrando o seu prestígio e as suas tradições".

Só pode ser profissional de Enfermagem quem possuir a licenciatura em Enfermagem e tiver a cédula da Ordem, que reconhecerá a sua competência científica, técnica e humana para a prestação de cuidados de enfermagens gerais. Os profissionais de Enfermagem, que têm de prestar uma assistência cuidada de nível superior enfrentam diariamente na sua atividade um sistema injusto, extenuante e stressante, uma escala de trabalhos pesados e desumanos. Como “recompensa” destas exigências recebem um salário baixo, um salário de miséria, um salário injusto e indigno, para um profissional com as suas habilitações e formação.

A Enfermagem é exercida por gente que cuida de gente. Os profissionais de Enfermagem são autênticos guerreiros da paz, são seres humanos abertos para a vida, com todas as capacidades, restrições, alegrias e frustrações, mas também conseguem arrancar do fundo do seu ser as forças necessárias para ajudar a mitigar as dores, aquecer o coração e afagar a alma de quem geme, de quem sofre. Bem-haja!

sábado, 9 de dezembro de 2017

PARABÉNS CARLOS PINHEIRO



Uma das estrelas do lançamento da BIRD Magazine - Volume I a 30 de junho está, hoje, de parabéns. Carlos Pinheiro, cantor amarantino, completa, neste dia, 18 anos de idade.

Muitos parabéns e muito sucesso, em nome de toda a equipa.

TROMBOEMBOLISMO PULMONAR (TEP)

ANTONIETA DIAS
O tromboembolismo pulmonar é um quadro clinico grave que resulta da obstrução de um vaso sanguíneo que impede a passagem normal da circulação do sangue.

A sua obstrução resulta da presença de um trombo (coágulo sanguíneo) que se aloja num vaso e provoca ou uma obstrução parcial (o vaso sanguíneo não fica obliterado completamente e permite a passagem de alguma quantidade de sangue) ou uma obstrução total do vaso e neste caso o coágulo oblitera completamente o calibre do vaso e interrompe completamente a passagem do sangue, tendo como consequência a morte irrecuperável dos tecidos que esse vaso irrigava.

Por sua vez a embolia surge quando o trombo que se encontrava aderente ao vaso sanguíneo se desprende e entra na corrente sanguínea alojando – se posteriormente num vaso de menor calibre, fazendo com que o sangue fique retido nesse local.

Se o êmbolo se aloja por exemplo no cérebro o quadro clinico designa-se como embolia cerebral, se pelo contrário obstruir um vaso do pulmão provoca uma embolia pulmonar.

Os trombos têm uma apetência maior para surgirem nos vasos sanguíneos onde já existem alguns depósitos de colesterol, sendo a sua uma evolução lenta, enquanto a embolia é caraterizada por um quadro clínico agudo que se instala subitamente.

Uma das causas mais frequentes destes quadros clínicos, são a presença de um trombo existente nas veias do membro inferior que se desprende, entra na circulação sanguínea e para quando o calibre do vaso não permite a sua passagem obstruindo-o e provocando uma isquemia (falta de irrigação do sangue), porque como o vaso está obstruído o sangue não circula no local onde o trombo se alojou.

Se esta situação clínica for diagnosticado atempadamente duma forma geral é reversível e não origina grandes danos, caso contrário irá provocar um enfarto dos tecidos que ficam privados da irrigação sanguínea e provocar a morte dos mesmos.

O enfarte tem designações diferentes conforme o local onde gera essa obstrução, se ocorrer nas artérias coronárias provoca um enfarte do miocárdio, se for no cérebro dá origem a um acidente vascular cerebral (AVC) e a um tromboembolismo pulmonar se o local do trombo se alojar nos vasos pulmonares.

O tromboembolismopulmonar pode ser periférico se obstruir os vasos periféricos do pulmão ou um tromboembolismo maciço se o trombo se alojar na tronco pulmonar, dando lugar a um enfarte pulmonar, que é tanto mais grave quanto maior for a extensão provocada pela falta de irrigação dos tecidos pulmonares.

Esta é uma causa de morte súbita (tromboembolismo maciço), frequentemente diagnosticada nos pacientes submetidos a uma autópsia (quando a causa de morte é indeterminada / desconhecida) de investigação clinica ou numa autópsia médico - legal.

A etiologia mais frequente de tromboembolismo pulmonar tem a sua origem em trombos localizados nas veias profundas dos membros inferiores (TVP), que se desprendem, entram na circulação sanguínea e provocam as embolias pulmonares.

Existem porém outras causas de tromboembolismo pulmonar não são menos importantes como por exemplo: insuficiência venosa dos membros inferiores, idade avançada, doentes com cancros, com patologia cardíaca (insuficiência cardíaca), patologia renal (síndrome nefrótico), doenças da coagulação do sangue (trombofilias/doenças de provocam formação espontânea de trombos), imobilização prolongada (doentes alectuados, pessoas que fazem viagens de avião prolongadas), doentes submetidos a cirurgias (a morte súbita em doentes pós cirúrgicos é quase muitas vezes devida a esta complicação), sendo uma suspeita clínica muito forte.

Sempre que exista uma suspeita clinica forte deve ser realizada uma angiotomografia computorizada (Angio-TAC pulmonar) para diagnóstico.

O tratamento é feito com anticoagulantes, sendo o tempo mínimo de tratamento previsível de 6 meses.

Se forem doentes com antecedentes de trombofilias (doenças da coagulação do sangue), devem fazer anticoagulantes durante toda a vida.

Quando se usa a varfarina (fármaco mais comum), é necessária a realização de um controlo sanguíneo para manter os níveis terapêuticos do fármaco para o doente estar protegido.

Em suma, o tromboembolismo pulmonar é uma causa importante de morte súbita, sendo a prevenção o melhor método para a impedir, assim deve ser prescrita a terapêutica com heparina (iniciada antes da realização da cirurgia) em baixas doses a todos os doentes submetidos a cirurgias, aos doentes internados que se encontrem acamados, sem prejuízo de os estimular a fazer um levante e andar precoce.

JOSÉ MARIA LIMA DE FREITAS, ESCRITOR, PINTOR E DESENHADOR PORTUGUÊS QUE VIVEU EM PARIS

MANUEL DO NASCIMENTO
José Maria Lima de Freitas frequentou a Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. Desde 1946, adere ao neorrealismo, tornando-se numa voz ativa das vias surrealistas e abstratas em afirmação na arte portuguesa a partir dos anos 1950. José Maria Lima de Freitas viveu em Paris entre 1954 e 1959 e trabalhou para editoras norte-americanas. Ilustrou romances, contos em revistas francesas, espanholas, brasileiras, alemãs, etc. Em Portugal, à que destacar as ilustrações para Dom Quixote, Os Lusíadas, etc. Para além dos textos publicados em revistas, jornais ou catálogos de exposições, publicou títulos como Pintura incómoda em 1965. Expôs coletivamente inúmeras vezes desde 1946, nomeadamente nas Exposições Gerais de Artes Plásticas (SNBA, Lisboa), nas I e II Exposições de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian e na II Bienal de São Paulo, no Brasil. Realizou exposições individuais desde 1950, entre as quais: Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa, Museu Regional de Évora, Galeria Divulgação, Porto, Galeria Abril de Madrid. As suas obras de arte relevam um conhecimento da tradição mítico espiritual portuguesa, como os 14 painéis na estação do Rossio em Lisboa, tudo fora inspirado nos Mitos e Lendas da capital de Portugal (Porto-Graal). Foi docente do IADE (Instituto de Arte e Decoração de Lisboa) e Presidente da Comissão Instaladora do Teatro Nacional D. Maria II, que reabriu as portas ao público em maio de 1978, após 14 anos de obras de reconstrução, e o de diretor-geral da Ação Cultural, da Secretaria de Estado da Cultura. Foi agraciado pela Câmara Municipal de Setúbal com a Medalha de Honra da Cidade. Recebeu as condecorações de Cavaleiro e Oficial da Ordem do Mérrito, (Chevalier et Officier de L’Ordre du Mérite), atribuídas pelo Governo francês e o título de comendador da Ordem de Santiago da Espada. José Maria Lima de Freitas, nasceu em Setúbal a 22 de junho de 1927 e faleceu em Lisboa a 5 de outubro de 1998.