segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

E EM TUDO A PAF SE ENGANOU

HUGO VAZ
Mais uma vez começo este artigo de opinião com uma declaração de interesse, reforçando as medidas e ações mais significativas que decorreram na discussão da especialidade do orçamento para o ano de 2017.

Comecemos pela criação líquida de emprego, que registou o seu mais alto nível dos últimos dois anos, em que nos últimos doze meses foram criados 90.000 postos de trabalho. Segundo Lembram-se do alegado "corte" na Educação que a direita e os opinadores do costume andaram a espalhar na comunicação social? É mentira. Sim, mais uma, orçamento da educação cresce 180 milhões.

Corroborando as palavras de José Luís Ferreira, do PEV, "Com o anterior governo discutia-se a dimensão dos cortes, com este governo discute-se a dimensão das devoluções".

Não nos podemos esquecer, apesar de embandeirarem em alto e bom som que subiram as pensões, o anterior governo deixou por atualizar 771000 pensões mínimas. 

Até já os empresários alemães, pasme-se, dão 7 boas razões para investir em Portugal, ao contrário da oposição que tudo tem feito para que as coisas corram mal a esta "geringonça", em especial no dossier da CGD, porque ao contrário do que pretendiam, já não a vão conseguir privatizar, e colocam todos e quaisquer obstáculos para descredibilizar um Banco que é de todos e para todos.

Porém, todos os agoiros que a oposição lança, são levados pelo vento, senão vejamos, o Parlamento Europeu decidiu que não existiria suspensão dos fundos comunitários a Portugal, as exportações tiveram o seu melhor resultado de sempre, estimando-se que tenham crescido cerca de 3%,sendo que em setembro dispararam 6,6%, aumentando as importações apenas 1,9%. O indicador avançado da OCDE sobre atividade económica, mostra uma recuperação contra-ciclo de Portugal em relação à Europa. Vai ser aumentado a contribuição social dos idosos em que a segurança social irá contatar 146 mil idosos sobre o mesmo.
Mas há mais coisas que correm mal à oposição, pois o INE divulgou a maior criação de emprego dos últimos 5 anos, baixando a taxa de desemprego para 10,5%, baixando 1,4% relativamente ao ano de 2015, mostrando que estas "políticas soviéticas" só fazem mal ao país.

Progresso, também, em pequenos passos que fazem a diferença, como por exemplo, o acesso gratuito por parte de todas as crianças a bombas de insulina a partir do próximo ano, e que a verba para apoiar alunos carenciados é a mais alta dos últimos 12 anos, digam lá se esta não é outra forma de estar na política, de ver pessoas e de não ver só números???

E depois dois tiros no porta-aviões do agoiro da oposição, o ritmo de crescimento do PIB quase que triplica no 3.º trimestre, já que depois da tendência de queda durante quase todo o ano de 2015, 2016 está a ser o ano da aceleração do crescimento económico.




Todos os que não se fartaram de insistir que a estratégia económica do Governo fracassou, agora vão dizer o quê?

O segundo tiro foi a aceitação por parte da União Europeia do orçamento português e o reconhecimento público por parte do comissário europeu dos assuntos económicos, Pierre Moscovici, que disse que Portugal está "claramente a deixar a crise económica para trás, e mesmo o comissário europeu indicado por portugal e pelo antigo governo afirma "Estamos a ver a luz ao fundo do túnel". 

Ainda para mais a dívida externa líquida reduziu 5,6 pontos percentuais, para 95,2% do PIB, correspondendo a uma redução de 6 mil milhões de euros. ou seja, mais um mito cai por terra, mais um agoiro que não se concretiza, mais um o vento levou.

Outra boa notícia para quase todos os portugueses é que o Governo vai antecipar a eliminação da sobretaxa de irs para o segundo escalão, pelo que se prevê, já em janeiro e não só em abril como tava previsto, ou seja, a sobretaxa vai acabar mais cedo para 1,1 milhões de contribuintes. Está confirmado o aumento extraordinário das pensões sociais, rurais e do primeiro escalão. "Assim, para além do aumento decorrente da inflação em Janeiro, haverá um aumento extraordinário em Agosto para um valor total até 6 euros por pensionista. Para além destas pensões, existirá um aumento de 10 euros para as pensões contributivas que estiveram congeladas durante a governação da direita (e que se mantinham congeladas segundo programa do PSD/CDS), promovendo-se assim o maior aumento de pensões feito em Portugal num único ano.", afirma o deputado Tiago Barbosa Ribeiro.

Que horrível é esta gerigonça digam lá.

Que ninguém se esqueça da entrevista dada pelo líder da oposição à SIC, em que o jornalista lhe pergunta se as coisas corressem bem o que ele faria, sabem a resposta?

"Ai concerteza passaria a defender o voto no PS, BE e PCP"

Então em 2019 terá a oportunidade de o fazer.

Termino este artigo de opinião com algo que deve ser um dos alicerces primordiais para o nosso país, nas palavras do Primeiro-Ministro, António Costa:

"Não voltaremos a ser competitivos à custa de baixos salários"

Sem comentários:

Enviar um comentário